REUTERS/Angela Ponce
REUTERS/Angela Ponce

Oposição apresenta moção para destituir presidente do Peru, no cargo há apenas quatro meses

Pedido tem poucas adesões e dificilmente deve prosperar no Congresso, mas dois dos antecessores de Pedro Castillo sofreram com processos de impeachment

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de novembro de 2021 | 19h32

LIMA - Congressistas de três partidos de direita apresentaram nesta quinta-feira (24), no Parlamento do Peru, um pedido para remover do cargo o presidente Pedro Castillo, que está há apenas quatro meses no poder, alegando uma suposta "incapacidade moral" para exercer suas funções. A moção, no entanto, tem baixas chances de avançar. 

Isso ocorre porque o pedido tem apenas 28 assinaturas, duas a mais que as exigidas para iniciar o trâmite no Congresso. A moção foi apresentada por congressistas dos partidos Avança País,  Renovação Popular e Força Popular, de Keiko Fujimori, filha do ex-ditador Alberto Fujimori e derrotada três vezes nas urnas nas últimas três eleições.

O texto não deve ir a plenário não está garantida, já que é preciso que 40% dos legisladores presentes aprovem a medida. Para remover o presidente, são necessários 87 votos de um total de 130 congressistas. 

"Declara-se a permanente incapacidade moral do Presidente da República, o cidadão José Pedro Castillo Terrones, segundo o estabelecido no inciso 2 do artigo 113 da Constituição política do Peru", diz o texto da moção, difundido na imprensa local e nas redes sociais.

Nos últimos anos, o Peru passou por uma grave instabilidade política. O antecessor de Castillo, Pedro Pablo Kuczynski renunciou para não perder o mandato e seu, vice, Martin Vizcarra, sofreu impeachment. /AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.