Oposição boicota primeira sessão do novo Parlamento georgiano

Os 120 deputados presentes elegeram unanimemente David Bakradze, ex-ministro de Exteriores

EFE,

07 de junho de 2008 | 06h23

A oposição georgiana boicotou neste sábado a primeira sessão do novo Parlamento que foi escolhido nas eleições legislativas do dia 21 de maio, vencidas pelo partido governista do presidente Mikhail Saakashvili. O líder opositor, Levan Gachechiladze, cortou com uma tesoura seu mandato de deputado diante de mil de seus partidários durante um comício em frente à sede do Legislativo em Tbilisi. "Este é o começo de uma ditadura de partido único", proclamou Gachechiladze, que se nega a reconhecer como legítima a composição do novo Parlamento devido, segundo ele, à fraude cometida no pleito de maio. Fizeram parte da sessão parlamentar os 119 deputados do governista Movimento Nacional Unido (MNU) e só um opositor, integrante do Partido Trabalhista (PL). Os outros 30 deputados da câmara, membros da Oposição Unificada (OU), do PL, do Movimento Cristão Democrata e do Partido Republicano, não participaram da reunião. Durante a sessão, os 120 deputados presentes elegeram unanimemente David Bakradze, ex-ministro de Exteriores, como novo presidente do Parlamento. Enquanto isso, Gachechiladze reiterou seu pedido de convocar novas eleições e adiantou que a oposição recebeu autorização para se manifestar em frente ao prédio do Parlamento até o próximo dia 18 de junho. Milhares de opositores georgianos já saíram às ruas para pedir a repetição das eleições.

Mais conteúdo sobre:
ELEIÇÃO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.