Oposição boliviana declara ''resistência''

Medida é protesto por convocação de referendo sobre nova Carta

Efe e AFP, La Paz, O Estadao de S.Paulo

30 de agosto de 2008 | 00h00

A oposição regional boliviana declarou-se ontem em "resistência civil" para protestar contra o fato de o presidente Evo Morales ter convocado um referendo sobre um novo projeto de Constituição. O projeto foi aprovado em novembro em uma votação polêmica da Assembléia Constituinte, realizada em um colégio militar e sem a presença de opositores. Segundo a oposição, Evo atua como um "ditador" ao forçar sua ratificação. A consulta popular foi convocada para 7 de dezembro por meio de um decreto assinado pelo presidente na quinta-feira. O decreto também prevê a realização, no mesmo dia, de eleições para a substituição dos três governadores cujos mandatos não foram ratificados no referendo revogatório do dia 10. Além disso, os eleitores também serão consultados sobre quais devem ser os limites para as propriedades na Bolívia: 5 mil ou 10 mil hectares. O excedente será expropriado. O governo nomeou cinco ministros para tentar avançar no diálogo com a oposição. Evo, porém, decidiu viajar para Líbia e Irã, em visitas agendadas antes da escalada na crise política.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.