Oposição boliviana diz que rejeitará imunidade para os EUA

O principal partido opositor da Bolívia anunciou que não ratificará, no Congresso, o convênio assinado pelo governo de La Paz com os Estados Unidos, concedendo imunidade aos soldados americanos perante o Tribunal Penal Internacional (TPI). A informação foi dada pelo deputado Evo Morales, líder do partido Movimento ao Socialismo (MAS), que controla um terço do Congresso. "Não permitiremos que ocorra isso (a ratificação)", afirmou. "Trata-se de uma decisão soberana". Outros dirigentes do MAS anteciparam a possibilidade de interpelar o chanceler Carlos Saavedra e o ministro da Defesa Freddy Teodovic sobre o assunto. Felipe Quispe, deputado opositor e dirigente camponês, disse que "o país não pode abaixar as calças como fez o chanceler". Mesmo deputados governistas discordam do acordo, que foi assinado provisoriamente em junho. "O convênio é inconstitucional", disse o senador governista Morgan López.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.