Oposição consegue assinaturas para referendo contra Chávez

O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) da Venezuela anunciou que a oposição atingiu, após o processo de confirmação dos dias 28 a 30 de abril, o número necessário de assinaturas para convocar o referendo sobre a revogação do mandato do presidente Hugo Chávez. Um membro do CNE, Jorge Rodríguez, fez o anúncio do boletim parcial do processo conhecido como "reparo" assim que se constatou que o número de assinaturas consideradas válidas ultrapassou o mínimo necessário para viabilizar o referendo, de 2.436.083 firmas. Faltando ainda a conferência de cerca de 20% das listas de assinaturas, as petições válidas já eram 2.451.821.Com a cifra mínima de assinaturas para a convocação de um plebiscito assegurada, a oposição espera agora realizar a votação em 8 de agosto. Chávez terá seu mandato revogado se mais de 3,76 milhões de eleitores - número de votos que o levou ao poder na eleição de 2000 - votarem pela destituição.Inicialmente, o CNE havia concordado com a data, depois de negociações com o governo e a oposição - mediadas pelo Centro Carter, a Organização de Estados Americanos (OEA) e o Grupo de Países Amigos da Venezuela, do qual o Brasil é um dos líderes. Mas, durante o anúncio de hoje, o CNE não mencionou quando se realizaria o referendo.Pela Constituição venezuelana, se o referendo se realizar depois de 19 de agosto - e no caso de derrota de Chávez -, o atual mandato, que se encerra em 2006 seria terminado pelo vice-presidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.