Oposição da Nigéria forma coalizão para tentar alternar governo

Os quatro principais partidos de oposição da Nigéria anunciaram uma fusão, formando uma coalizão que pode representar a maior ameaça ao partido do atual presidente Goodluck Jonathan, que está no governo desde o fim do regime militar, em 1999.

CAMILLUS EBOH, Reuters

07 de fevereiro de 2013 | 09h33

Tentativas anteriores de alianças da oposição não deram certo devido a diferenças regionais e lutas internas. O partido recém-criado será testado quando tentar chegar a um acordo sobre o candidato presidencial para as eleições de 2015.

"Em nenhum momento da nossa vida nacional uma mudança radical se tornou mais urgente", disse um comunicado assinado na quarta-feira por representantes dos quatro partidos.

"Nós, os seguintes partidos políticos progressistas, ACN, ANPP, APGA e CPC, resolvemos nos fundir imediatamente e se tornar o Congresso de Todos os Progressistas e oferecer ao nosso povo sitiado uma receita para a paz e prosperidade."

O Partido Democrático do Povo (PDP), de Jonathan, ganhou todas as eleições presidenciais desde o retorno ao regime civil há 14 anos. Ele controla cerca de dois terços dos Estados e tem uma maioria confortável em ambas as casas da Assembleia Nacional.

Os quatro partidos de oposição juntos controlam quase todos os lugares restantes e conseguiram reduzir a maioria do PDP nas eleições estaduais e parlamentares de 2011.

A acirrada disputa eleitoral no maior produtor de petróleo da África pode frequentemente atiçar a violência.

Centenas de pessoas foram mortas em confrontos no norte do país, de maioria muçulmana, quando o cristão originário do sul Jonathan venceu a eleição presidencial dois anos atrás.

Tudo o que sabemos sobre:
NIGERIAPARTIDOSOPOSICAOFUSAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.