Oposição denuncia irregularidades em referendo sobre Constituição

Grupos de oposição ao presidente Mohamed Morsi denunciaram ontem irregularidades no segundo turno do referendo que deve aprovar uma nova Constituição para o Egito. Eles relataram atraso na abertura de postos, campanha ilegal e falhas nos registros de eleitores.

O Estado de S.Paulo

23 de dezembro de 2012 | 02h03

Os apoiadores de Morsi, eleito em junho, dizem que a Carta é vital para democratizar o Egito dois anos depois da deposição de Hosni Mubarak. A oposição acusa Morsi de impor um texto que favorece aliados islâmicos e ignora direitos do cristãos, 10% da população, e das mulheres.

No primeiro turno, 57% dos votos foram favoráveis à Carta. Ontem, a votação levada às áreas rurais, com forte influência islâmica, tendia a favorecer Morsi.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.