Oposição desiste de boicotar eleições presidenciais na Nigéria

Os dois maiores partidos da oposição na Nigéria retiraram nesta quinta-feira, 19, as ameaças de boicotar as eleições presidenciais, preparando o palco para a votação no final de semana, que poderá reforçar o controle civil no governo da mais populosa nação da África.O Partido do Povo da Nigéria, liderado pelo candidato presidencial, o general Muhammadu Buhari, foi o primeiro entre os 18 partidos de oposição a retirar as ameaças, depois de divulgar um comunicado, no início desta semana, em favor do boicote às eleições. O partido pedia que o governo adiasse as eleições, que deverão ocorrer no sábado, para que fosse formada uma nova comissão eleitoral. A oposição teme que a eleição seja fraudada."Nós não boicotaremos e participaremos das eleições", disse nesta quinta-feira um líder de partido da oposição, Edwin Ezeoke. Segundo ele, um boicote apenas ajudaria ao partido governista."Nós pedimos a todos os integrantes da Ação Congressista e a todos os nigerianos que votem em nosso candidato, o vice-presidente Atiku Abubakar", disse um comunicado da Ação Congressista, maior partido de oposição. A oposição acusa o partido do governo de ter fraudado as eleições para governador, que aconteceram em 14 de abril e foram vencidas pela situação. Pelo menos 21 pessoas morreram em confrontos durante a votação do dia 14.A eleição tem como favorito o candidato governista Umaru Yar´Adua, que é do mesmo partido do atual presidente do país, Obasanjo. Ex-militar, Obasanjo foi eleito em 1999 e reeleito em 2003, sob acusações de fraude.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.