Oposição desiste do boicote de eleições no Afeganistão

Vários adversários do candidato favorito para vencer as eleições presidenciais - o presidente afegão Hamid Karzai - resolveram voltar atrás no pedido de anulação das eleições realizadas no sábado. As primeiras eleições para presidente no Afeganistão foram tumultuadas por 15 dos 18 candidatos de oposição a Karzai, que assinaram uma declaração conjunta pedindo a suspensão das eleições, que, segundo eles, poderiam produzir resultados fraudulentos. Os candidatos alegaram que a tinta colocada nos dedos dos eleitores para impedi-los de votar mais de uma vez estava saindo facilmente. O uso da tinta tinha sido anunciado como "a solução" para impedir fraudes depois que foi descoberto que vários eleitores tinham se registrado mais de uma vez para votar. Participação ?massiva? Neste domingo, porém, representantes de vários candidatos disseram à BBC que vão aguardar a instalação de uma investigação oficial para averiguar possíveis irregularidades. O primeiro candidato a voltar atrás no boicote neste domingo foi Mohammed Mohaqueq. Ele pediu à ONU uma investigação sobre o processo eleitoral e disse que aceitará a decisão final da organização. Outros candidatos também estão trocando a anulação do pleito por uma saída mais conciliadora, segundo o repórter da BBC Andrew North, que está em Cabul. Numa entrevista concedida à BBC neste domingo, o presidente do Afeganistão Hamid Karzai rejeitou mais uma vez as críticas à eleição e disse que - seja quem for o vencedor - o processo deve ser visto como um enorme sucesso. A ONU comemorou a participação "massiva" da população nas eleições deste sábado. Mais de 10 milhões de pessoas foram registradas para votar, muitas delas refugiados que vivem no Paquistão e no Irã.

Agencia Estado,

10 Outubro 2004 | 12h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.