Oposição diz que 1.000 foram mortos nos últimos 8 dias

O Conselho Nacional Sírio, principal grupo de oposição do país, afirmou que 1.000 pessoas foram mortas por forças do governo nos últimos oito dias. De acordo com Bassma Kodmani, porta-voz do grupo, tropas leais ao presidente Bashar Assad intensificaram as investidas em áreas opositoras, apesar de o governo dizer que aceitaria o plano de paz da Organização das Nações Unidas (ONU).

AE, Agência Estado

10 de abril de 2012 | 11h10

Segundo Kodmani, somente na segunda-feira 160 pessoas forma mortas no país. Ela disse aos jornalistas em Genebra, nesta terça-feira, que as forças do regime têm usado armamento pesado contra civis, contrariando o acordo de cessar-fogo que teria início nesta terça-feira. Kodmani afirmou que a situação humanitária em território sírio está "se deteriorando dramaticamente". As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Síriaviolênciamortos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.