Oposição do Iêmen quer detalhes sobre transição de poder

Os partidos de oposição do Iêmen pediram nesta terça-feira que os mediadores do Golfo expliquem claramente se o presidente Ali Saleh irá entregar o poder antecipadamente sob as condições propostas que objetivam encerrar os dois meses de crise no país por conta das reformas na liderança e política.

MOHAMED SUDAM E MOHAMMED GHOBARI, REUTERS

12 de abril de 2011 | 11h09

Os ministros de Relações Exteriores do Golfo Árabe disseram nesta semana que convidariam Saleh e a coalizão da oposição para mediar as negociações na capital da Arábia Saudita, Riad, sobre a transição de poder. Segundo analistas, Saleh confia em Riad para as negociações, pois a capital saudita é financiadora importante do Iêmen.

A oposição rejeitou na segunda-feira o comunicado do Conselho de Cooperação do Golfo sobre a estrutura das negociações porque parecia oferecer a Saleh a isenção de futuras acusações, exigidas pelo movimento de protestos que estão nas ruas de Sanaa desde fevereiro.

O porta-voz da oposição, Mohammed Qahtan, disse nesta terça-feira que os partidos também têm receios sobre a frase "transferência de poder", que não especificava uma cronologia para a renúncia de Saleh. Manifestantes e a oposição querem a saída imediata do presidente.

"Os Estados do Golfo precisam esclarecer o significado da transição de poder", disse ele à TV Al Arabiya, acrescentando que os Estados do Golfo Árabe ainda não tinham estabelecido uma data para o convite de negociação.

Tudo o que sabemos sobre:
IEMENTRANSICAOPODER*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.