Oposição do Zimbábue diz ter 60% dos votos nas presidenciais

Dados conhecidos se limitam às eleições Parlamentares; opositores temem manipulação por parte de Mugabe

Agências internacionais,

31 de março de 2008 | 09h15

A oposição do Zimbábue disse nesta segunda-feira, 31, que seu candidato presidencial, Morgan Tsvangirai, obteve 60% de apoio do eleitorado enquanto o presidente Robert Mugabe teve 30% dos votos, segundo apuração particular das eleições do último sábado. Os dados divulgados nesta segunda pela comissão eleitoral do país se referem apenas às eleições parlamentares, nas quais oposição e governo encontram-se praticamente empatados. Ainda não há dados oficiais sobre a eleição presidencial.   Veja também: Resultado das eleições no Zimbábue deve sair nesta segunda Governo zimbabuano alerta oposição por declaração de vitória Oposição diz que lidera a votação no Zimbábue Eleições terminam no Zimbábue sob ameaça de fraudes   A demora da comissão para anunciar os resultados sobre o novo presidente levou a oposição a acusar Mugabe - que está no poder desde 1980 e aspira à reeleição - de tentar manipular a apuração, causando tensão no país. As autoridades eleitorais pediram ao MDC que pare de proporcionar resultados provisórios não oficiais, e insistem em que só a Comissão Eleitoral está autorizada a isso.   Segundo a CNN, foram oferecidos dados de 38 das 210 circunscrições eleitorais, com praticamente um empate entre o MDC e o governante Zanu-PF. Dois membros do gabinete do presidente Robert Mugabe - sendo um deles o ministro da Justiça Patrick Chinamasa - perderam seus assentos para a oposição nesta segunda.   Na eleição presidencial, cujos resultados parciais ainda não saíram, se nenhum dos candidatos obtiver mais de 50% dos votos, haverá um segundo turno, que, caso aconteça, seria o primeiro na história deste país.Os principais rivais do presidente Robert Mugabe são o líder do Movimento para a Mudança Democrática (MDC), Morgan Tsvangirai, e o independente e ex-ministro das Finanças Simba Makoni.   O ministro da Informação zimbabuano, Sikhanyiso Ndlovu, pediu que os cidadãos tenham paciência para esperar os resultados. "Não deveríamos pressionar a Comissão Eleitoral, que irá anunciando os dados segundo forem chegando", disse o ministro.   No entanto, observadores independentes não entendem por que, se os primeiros resultados começaram a chegar ao comando central da Comissão Eleitoral na mesma noite das eleições, os primeiros dados só foram anunciados dois dias depois.   O secretário-geral do MDC, Tendai Biti, disse que a oposição teme que as autoridades estejam tentando manobras ocultas para fraudar o resultado da eleição.   Segundo previsões da Zimbabwe Election Support Network (ZESN), uma rede de observadores independentes das eleições no país, Morgan Tsvangirai deve ganhar a maioria dos votos, mas pode ter que enfrentar Mugabe em um segundo turno. As pesquisas do grupo dão conta que Tsvangirai deve ficar com 49,4% dos votos apurados no último sábado, 29. (Texto atualizado às 18h)

Tudo o que sabemos sobre:
eleições no Zimbábue

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.