Oposição do Zimbábue rejeita segundo turno

Tsvangirai alega que venceu Mugabe; ambos participam amanhã de reunião na Zâmbia

AP e NYT, O Estadao de S.Paulo

11 de abril de 2008 | 00h00

A oposição do Zimbábue anunciou ontem que seu candidato à presidência, Morgan Tsvangirai, não participará de um possível segundo turno, alegando que ele já venceu a eleição. Segundo uma apuração paralela feita por opositores, Tsvangirai obteve 50,3% dos votos.O governo do presidente Robert Mugabe ainda não divulgou o resultado oficial da votação do dia 29. O partido opositor, Movimento pela Mudança Democrática (MMD), entrou na Justiça para tentar obrigar Mugabe a publicar os resultados, mas a decisão judicial sobre o caso deve ser divulgada somente na segunda-feira.''Morgan Tsvangirai venceu a eleição sem necessidade de um segundo turno. Por isso, não vamos aceitar outro resultado, exceto o que confirme a sua vitória'', disse o secretário-geral do MMD, Tendai Biti, em uma entrevista na vizinha África do Sul.Biti acusou o governo de Mugabe - que está há 28 anos no poder - de dar ''um golpe de Estado''. O partido acusa o presidente de segurar os resultados oficiais para poder forçar um segundo turno e, com isso, ganhar tempo para que suas milícias intimidem os eleitores da oposição.Já há dezenas de zimbabuanos, especialmente das áreas rurais, afirmando que foram espancados por milícias ligadas ao partido do presidente Mugabe, o Zanu-PF.Diante do impasse em que se transformou a eleição presidencial, o presidente da Zâmbia, Levy Mwanawasa, convidou Mugabe e Tsvangirai para uma reunião de emergência com outros líderes do sul do continente, membros da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC, na sigla em inglês). Tanto Mugabe como Tsvangirai confirmaram que participarão do encontro, que está marcado para amanhã na capital da Zâmbia, Lusaka, e será mediado pelo presidente sul-africano, Thabo Mbeki.Líderes africanos costumam delegar a Mbeki e a sua estratégia da ''diplomacia discreta'' a tarefa de lidar com os problemas do Zimbábue. Mwanawasa é o único presidente da região que critica Mugabe abertamente. O presidente da Zâmbia chegou a dizer que a economia zimbabuana, com uma inflação de 100.000% ao ano, é um ''um Titanic afundando''.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.