Oposição iraniana vai usar visita de Lula para protestar

A oposição iraniana planeja aproveitar a visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a Teerã, em maio, para realizar um grande protesto contra o governo do presidente Mahmoud Ahmadinejad. A iniciativa foi confirmada por opositores que conseguiram fugir para a Europa nos últimos meses. Para dirigentes do movimento verde - como ficou conhecido o grupo liderado pelo candidato oposicionista Mir Houssein Mousavi, derrotado nas eleições presidenciais de junho, cujo resultado afirma ter sido fraudado -, a viagem do brasileiro seria uma oportunidade única para constranger o regime.

AE, Agencia Estado

17 de fevereiro de 2010 | 07h26

"Estamos planejando um protesto para mostrar ao mundo que queremos democracia e liberdade de expressão", disse a líder feminista iraniana Shadi Sadr, presa em julho em Teerã e acusada de ser "agente do Ocidente" por defender os direitos das mulheres. Vivendo agora na Europa, Shadi Sadr indica que movimentos sociais começam a se mobilizar para a visita de Lula. "Se o Brasil é um país democrático, vai entender o nosso protesto", indicou outro ativista, que prefere não se identificar.

A ativista iraniana e prêmio Nobel da paz de 2003 Shirin Ebadi alertou que Lula estaria "violando os princípios democráticos" se não promovesse reuniões com a oposição em Teerã. Ela poderá visitar o Brasil exatamente na semana em que Lula estiver no Irã. Porém, a oposição sabe que o governo de Teerã deverá tomar todas as precauções para "blindar" seu convidado de honra. Teerã insiste que muitos dos pessoas que o Ocidente identifica como oposição são, na realidade, "terroristas". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãoposiçãovisitaLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.