Oposição iraquiana aceita "guerra de libertação"

A oposição iraquiana no exílio considera que o custo em vidas da guerra dos EUA contra o Iraque ?não será alto demais? e acredita que ?não haverá resistência? na população do país aos invasores americanos.Safia Al Souhail, integrante do Comitê de Acompanhamento e de Coordenação da Oposição Iraquiana disse, em Paris, que ?não haverá resistência verdadeira? e que ?a única resistência virá de uma pequena minoria do núcleo da ditadura?.A dirigente iraquiana, que se manifestou a favor de uma guerra contra o regime de Bagdá, concedeu entrevista acompanhada pelo ex-ministro francês da Economia, Alain Madelin, que qualificou a ação militar como ?operação militares de libertação?.Madelin é deputado do Partido pela Maioria Presidencial, do presidente Jacques Chirac, mas está a favor da guerra. Como porta-voz europeu da oposição iraquiana, ele disse que o ?governo de transição? que substituirá Saddam Hussein será integrado por ?um representante militar americano, um iraquiano civil e um representante da ONU?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.