Oposição israelense pede que Netanyahu cancele discurso no Congresso americano

Opositores temem que eventual fala do premiê prejudique as relações entre Israel e EUA

O Estado de S. Paulo

07 de fevereiro de 2015 | 19h32

 JERUSALÉM - Líderes da oposição ao governo de Israel pediram neste sábado, 7, ao primeiro-ministro do país, Binyamin Netanyahu, que cancele o discurso que ele pretende fazer no Congresso americano, afirmando que esse ato poderá pôr em perigo a relação dos israelenses com os EUA, seu mais poderoso aliado.

Isaac Herzog, líder do Partido Trabalhista, afirmou que, em vez de alertar o mundo sobre o programa nuclear do Irã, o eventual discurso de Netanyahu diante dos congressistas americanos, previsto para ocorrer no dia 3, tem causado uma controvérsia que prejudica as relações de Israel com os EUA.

A Casa Branca demonstrou profunda irritação após a possível fala do líder israelense ter sido anunciada, denunciando uma quebra de protocolo diplomático. O governo de Barack Obama está irritado porque considera que Netanyahu planejou seu discurso no Congresso americano com congressistas republicanos, que fazem oposição ao líder democrata.

A relação entre Obama e Netanyahu é tensa há muito tempo, parcialmente em razão do ceticismo do líder israelense em relação às negociações sobre o programa nuclear iraniano.

A parlamentar israelense Zahava Gal-On, do partido de esquerda Meretz, também pediu que Netanyahu cancele seu plano. Yair Lapid, líder do partido de centro Yesh Atid, afirmou que a repercussão do eventual discurso está “prejudicando seriamente as estratégicas relações de Israel com os EUA”.

O mais recente sinal de descontentamento de Washington com a possível fala de Netanyahu veio do vice-presidente americano, Joe Biden. Na sexta-feira, o gabinete de Biden comunicou que ele não deverá comparecer ao discurso do premiê israelense, previsto para ocorrer durante uma sessão conjunta do Congresso. Por ser também presidente do Senado, Biden deveria comparecer à sessão. / AP

Tudo o que sabemos sobre:
NetanyahuIsraelObamaBidenEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.