Oposição lidera apuração eleitoral na Jamaica

O Partido Trabalhista da Jamaica, daoposição, liderava na terça-feira a apuração das eleiçõesparlamentares, realizadas na segunda-feira, embora o partidogovernista, há 18 anos no poder, resista em reconhecer oresultado. A totalização preliminar citada por funcionários eleitoraisdava ao Partido Trabalhista da Jamaica (JLP) 31 das 60 cadeirasdo Parlamento. Se mantido, o resultado deve levar a uma rápida queda daprimeira-ministra Portia Simpson Miller, primeira mulher agovernar o país. Ela assumiu há 18 meses a liderança do PartidoNacional do Povo (PNP). Mas, em breve mensagem a seus simpatizantes, Simpson Millerdisse que não aceitaria a derrota até que os resultados sejamdefinitivos e tenham sido examinados de perto. "A eleição é muito disputada para proclamar um ganhador",disse Simpson Miller, que busca seu primeiro mandato nas urnasdepois de substituir o premiê P.J. Patterson, que se aposentouno ano passado. "Por enquanto, não reconhecemos a vitória doPartido Trabalhista da Jamaica", declarou ela. Danville Walker, diretor do processo eleitoral, disse quena terça-feira começará uma recontagem de votos que pode levardois ou três dias. Segundo ele, em três distritos eleitorais osresultados estão muito equilibrados. Citando irregularidades na votação, Simpson Miller declarouque os candidatos do PNP podem apresentar impugnações. Bruce Golding, líder do JLP, também disputando sua primeiraeleição como dirigente partidário, não se pronunciou após avotação. Houve grandes filas nos centros de votação nasegunda-feira. A eleição havia sido adiada devido à passagempela ilha do furacão Dean, há 15 dias. Durante a votação, outrofuracão, o Félix, passava 400 quilômetros ao sul, provocandofortes chuvas na Jamaica. As autoridades eleitorais relataram poucos incidentes, comodemoras na abertura de alguns centros de votação e um caso deporte ilegal de armas de fogo na capital Kingston. Mas a ilha caribenha, de 2,8 milhões de habitantes, pareceem geral ter evitado a violência eleitoral. No fim de semana,pelo menos dez pessoas haviam morrido em tiroteios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.