Oposição marcha em homenagem a Villar

O grupo Damas de Branco organizou ontem uma marcha em Havana em homenagem ao dissidente Wilman Villar, morto na sexta-feira, após 50 dias de greve de fome na prisão. Villar estava preso por "resistência, desacato e atentado". Berta Soler, porta-voz do grupo, disse que a marcha em memória de Villar mostra que "as Damas de Branco estão de luto" por "mais um assassinato". Cerca de 50 manifestantes marcharam após saírem de uma missa na igreja de Santa Rita, que frequentam desde 2003.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.