Oposição na Tailândia quer adiar eleições

O líder do Partido Democrático, a maior força da oposição na Tailândia, Abhisit Vejjajiva, pediu neste sábado que as eleições gerais marcadas para julho sejam adiadas, para permitir que uma administração interina promova reformas primeiro. A proposta ocorre dias antes de o Tribunal Constitucional iniciar as audiências de um processo que pode terminar com a deposição da primeira-ministra Yingluck Shinawatra.

AE, Agência Estado

03 Maio 2014 | 11h41

O movimento governista Camisas Vermelhas planeja uma grande manifestação no dia 10 de maio na capital, Bangcoc, que pode culminar em conflitos com grupos da oposição. Nesta quarta-feira, a Comissão Eleitoral e o governo chegaram a um acordo para a realização de eleições no dia 20 de julho, após o Tribunal Constitucional anular o pleito de 2 de fevereiro, que foi questionado pela oposição.

Abhisit disse que os grupos de oposição planejam esboçar uma carta com propostas de reformas, que poderia ser colocado para apreciação em um referendo. Ele também voltou a pedir que a premiê Yingluck renuncie juntamente como todo seu gabinete de governo, para deixar que uma administração interina, formada por técnicos, lidere as reformas antes de novas eleições. Esse governo interino, eleito por todos os grupos políticos, teria mandato de um ano.

O líder da oposição já havia dito anteriormente que não disputaria as eleições se suas propostas de reformas forem aceitas. Ele afirmou que vai encaminhar seu projeto para a premiê Yingluck na próxima terça-feira. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
TAILÂNDIAPOLÍTICAOPOSIÇÃO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.