Oposição no Irã inspira exilados

Os protestos da oposição no Irã se tornaram um exemplo para os exilados venezuelanos. "Sei que é fácil dizer isso aqui do ar-condicionado de Miami, mas os venezuelanos precisam protestar mais, ser mais agressivos contra o governo Hugo Chávez, senão ele nunca vai deixar o poder", diz Ernesto Ackermann, presidente da organização Cidadãos Independentes Venezuelano-Americanos. Ramón Peraza, dono do restaurante de comida venezuelana Café Canela, diz nunca ter sido politizado. Mas a empresa de serviços elétricos que ele dirigia em Caracas, prestadora de serviços para a companhia estatal, foi transformada em uma cooperativa pelo governo de Chávez. "Eu não conseguia mais ganhar dinheiro. Tive de vir pra cá e mudar de profissão", disse Peraza, há dois anos em Weston.Ele não tem previsão de quando voltará à Venezuela. Está esperando Chávez sair. "Acho que vamos ter de fazer como no Irã, nos revoltar."

Patrícia Campos Mello, O Estadao de S.Paulo

29 de junho de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.