Oposição participa de segundo turno no Zimbábue

Não concorrer a votação seria desperdiçar uma ocasião para terminar com o regime de Mugabe nas urnas

EFE

10 de maio de 2008 | 06h55

A oposição do Zimbábue anunciou neste sábado que participará do segundo turno das eleições presidenciais, ainda não convocado oficialmente, apesar das condições adversas para garantir uma votação livre e eqüitativa. "Participaremos do assalto final contra a ditadura", afirmou o presidente do Movimento para Mudança Democrática (MDC), Morgan Tsvangirai, em entrevista coletiva. A oposição do Zimbábue tinha colocado em dúvida sua participação no segundo turno das eleições presidenciais por causa do endurecimento da repressão contra seus partidários pelo regime de Robert Mugabe, no poder desde 1980. Mas, apesar disso, Tsvangirai assinalou que não concorrer a esta votação seria desperdiçar uma boa ocasião para terminar com o regime de Mugabe por meio das urnas. O MDC conquistou a maioria parlamentar nas eleições gerais de 29 de março e assegura que, segundo seus dados, também obteve votos suficientes para que Tsvangirai possa se proclamar presidente eleito sem a necessidade de um segundo turno. No entanto, as autoridades eleitorais e o regime de Mugabe asseguram que os votos indicam que não houve um claro vencedor no primeiro turno.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.