Oposição pedirá referendo para tirar Chávez do poder

Completando-se nesta terça-feira a metade do mandato de 6 anos do presidente venezuelano, Hugo Chávez, a coalizão opositora Coordenação Democrática anunciou que entregará amanhã às autoridades eleitorais as assinaturas necessárias para a convocação de um referendo que pode revogar o mandato do chefe de Estado. Os porta-vozes, no entanto, disseram que "por razões de segurança" não revelariam a estratégia para levar o documento ao Conselho Nacional Eleitoral (CNE). A oposição programou para amanhã várias marchas no leste de Caracas, longe do CNE.Os chavistas também sairão às ruas da capital para comemorar o terceiro aniversário do governo Chávez. A manifestação dos chavistas deverá ocorrer na Avenida Bolívar, bem no centro da cidade. A apresentação das assinaturas não significa que será iniciado automaticamente o processo sobre a continuidade, ou não, da presidência de Chávez. Para que esse mecanismo seja levado adiante é necessário que seja empossada uma nova direção do CNE que, segundo o Tribunal Supremo, ainda deverá determinar a validade das assinaturas recolhidas pela oposição. O Supremo estabeleceu que a Assembléia Nacional, apesar das divergências, deverá escolher os membros do CNE até o dia 25.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.