Esteban Felix/AP
Esteban Felix/AP

Oposição protesta e exige recontagem 'voto por voto' em El Salvador

Tribunal eleitoral ainda faz contagem definitiva dos votos das eleições presidenciais

O Estado de S. Paulo,

11 de março de 2014 | 16h27

SAN SALVADOR - Enquanto o tribunal eleitoral de El Salvador continua a contagem dos votos das eleições presidenciais ocorridas domingo 8, o candidato opositor, que contesta o resultado preliminar, pede a recontagem "voto por voto".

Segundo dados preliminares, o governista Salvador Sánchez Ceren, da Farabundo Martí de Libertação Nacional (FMLN), obteve 50,11% dos votos (1.494.144) e o opositor Norman Quijano, da Aliança Republicana Nacionalista (ARENA), 49,89% (1.487.510) - uma diferença de 0,22 pontos porcentuais, 6.634 votos.

Quijano contesta o resultado. "Exigimos que o TSE faça uma recontagem voto por voto e abra todas as urnas como garantia da exatidão e transparência do processo eleitoral", afirmou o opositor, em declaração distribuída pelo seu partido.

Autoridades eleitorais responderam que essa opção só será possível, segundo a lei, se o número de votos impugnados for maior que a diferença entre os dois candidatos.

Centenas de opositores realizaram uma marcha nesta terça-feira para denunciar o resultado eleitoral, que consideram uma "fraude" contra seu partido nas eleições e exigir a recontagem dos votos.

O TSE continua a contagem dos votos sob a supervisão de observadores internacionais e da Procuradoria Geral da República. A contagem definitiva começou na noite da segunda-feira 10 e deve levar dias para terminar. Cada uma das 10.445 cédulas de votação é verificada e, com o resultado, será proclamado oficialmente o nome do presidente eleito para governar entre 2014 e 2019.

A OEA (Organização dos Estados Americanos) pediu que os dois partidos salvadorenhos "preservem a tranquilidade" e "aguardem que o TSE entregue os resultados definitivos e divulgue o ganhador das eleições", informou o chefe de observadores internacionais, ex-chanceler boliviano Gustavo Fernández, citado pela agência AFP.

Os EUA classificaram as eleições em El Salvador de "livres e justas" e pediram "paciência" até que se anuncie oficialmente o vencedor. A porta-voz do Departamento de Estado americano, Jan Psaki, afirmou que os resultados preliminares mostram uma clara paridade.

Se confirmada a vitória de Ceren, este será o segundo mandato consecutivo da FMLN. Ceren é o atual vice-presidente do país e promete ampliar os programas sociais do atual presidente, Mauricio Funes, o que inclui a distribuição de um copo de leite por dia a crianças nas escolas, além de uniformes e materiais./ AP e EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.