Oposição quer impugnar resultados em dois estados na Venezuela

Mesa da Unidade Democrática alega que houve irregularidades nas eleições parlamentares

estadão.com.br

30 de setembro de 2010 | 12h22

 

CIUDAD BOLÍVAR - A Mesa da Unidade Democrática (MUD), a coligação opositora da Venezuela, pedirá a impugnação dos resultados eleitorais dos departamentos de Carabobo e Bolívar ao denunciar inconsistência na votação, informa nesta quinta-feira, 30, o jornal venezuelano El Universal.

 

Veja também:

linkChavez perde 1,8 milhão de votos em quatro anos

especialInfográfico: Raio X das eleições na Venezuela

 

Uma equipe técnica da MUD revisa as atas das eleições parlamentares do último dia 26 correspondentes a um distrito de Bolívar, pois consideram que houve irregularidades no processo eleitoral. Os opositores reunião as evidências e impugnar os resultados do distrito de Caroní, onde venceram Richard Rosa, Nancy Ascencio e Liris Sol Velásquez, todos do Partido Socialista Unidade da Venezuela (PSUV), do presidente Hugo Chávez.

 

"Estamos analisando os resultados e as atas com uma equipe especializada, vamos recompilar tudo para impugnar o resultado", disse Pastora Medina, candidata pelo departamento.

 

A parlamentar disse que existem irregularidades e inconsistências nos números. "Há números iguais, e não pode ser que em vários colégios eleitorais sejam depositados exatos 18 mil votos", disse. "Também não é normal que os resultados do Conselho Nacional eleitoral (CNE) somem 109%. O certo é 100%", completou.

 

Na quarta, o CNE de Carabobo amanheceu guardada por militares, que tinham a intenção de proteger a sede do órgão ante possíveis protestos por eventuais irregularidades que poderiam gerar protestos tanto da oposição quanto da situação, ambas descontentes com os resultados.

 

"Decidimos restringir o acesso, mas os que quiserem impugnar os resultados devem dizer que vêm com esse intuito e entregar o pedido à Junta Regional", disse o diretor regional do CNE, Paul Morris.

 

Eduardo Pino, Julio Castillo e Noe Mujica, todos candidatos da MUD por um distrito de Carabobo, entregaram documentos solicitando que o CNE se abstenha de proclamar os vencedores das cadeiras no Parlamento. Pino disse que os documentos detalham uma série de irregularidades em vários colégios eleitorais.

 

O PSUV conquistou a maioria do Parlamento, com 95 cadeiras, embora tenha perdido a maioria absoluta - dois terços da Assembleia Nacional. A MUD obteve 65 assentos, o que foi considerado uma vitória, além de ter obtido 52% dos votos, segundo números extraoficiais.

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaPSUVMUDeleiçõesChávez

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.