Oposição quer investigar propaganda oficial na Argentina

A Coalizão Cívica, um dos principais partidos de oposição, pediu ontem à Justiça Federal argentina que investigue irregularidades na distribuição da publicidade oficial - um total de US$ 26 milhões. O foco da investigação é o Canal Nove, que recebeu 67,5% do total das verbas de publicidade oficial para TV aberta do governo da presidente Cristina Kirchner em 2010.

AE, Agência Estado

08 de janeiro de 2011 | 08h53

Segundo a deputada Patrícia Bullrich, o Departamento Anticorrupção deverá investigar a "evidente e ampla discriminação na utilização dos recursos públicos em favor de um meio de comunicação que contém em sua programação diária emissões propagandísticas destinadas a apoiar diretamente o governo".

Na contramão da publicidade oficial destinada o Canal Nove, o Canal Trece, primeiro colocado em audiência e pertencente ao Grupo Clarín, crítico do governo Kirchner, recebeu somente 5% das verbas. Ao longo de 2010 diversas denúncias, com base em dados oficiais, indicaram que o governo também privilegiou com publicidade oficial jornais alinhados. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.