Oposição reúne 30 mil em protesto na Geórgia

Manifestantes exigiam a realização de um segundo turno das eleições presidenciais no país

Agência Estado e Associated Press,

15 de janeiro de 2008 | 21h28

Mais de 30 mil pessoas participaram nesta terça-feira, 15, de uma manifestação na capital da Geórgia exigindo a realização de um segundo turno nas eleições presidenciais de 5 de janeiro. Os manifestantes também firmaram um acordo que dá à oposição mais controle sobre a principal emissora de TV estatal.   Veja também: EUA reconhecem Saakashvili como novo presidente da Geórgia   Os manifestantes se agruparam numa pequena praça em frente ao prédio da TV pública. Muitos deles usavam lenços brancos no pescoço, símbolo da oposição. A multidão se espalhou pelas ruas, bloqueando o tráfego. "Nós não vamos ceder", afirmou Levan Gachechiladze, o candidato da oposição derrotado por Mikhail Saakashvili, segundo resultados oficiais.   A posse de Saakashvili para um segundo mandato está marcada para 20 de janeiro, mas a oposição, que não aceita os resultados oficiais, convocou um novo protesto para o dia da posse e pediu à comunidade internacional que boicote o ato. Líderes oposicionistas exigem a realização de um segundo turno, alegando que Saakashvili não alcançou os 50% dos votos necessários para não haver nova disputa.   Segundo os resultados divulgados pela Comissão Eleitoral Central da Geórgia, Saakashvili teve 53% dos votos e Gachechiladze ficou com 25%. Apesar de observadores internacionais terem avaliações divergentes sobre a votação, eles dizem que ela honrou a maior parte dos compromissos do país com a democracia.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.