Oposição síria e governo vão se reunir 'na mesma sala', diz Brahimi

Mediador da ONU conversou com cada delegação e afirmou que nenhuma deixará a conferência de paz

O Estado de S. Paulo,

24 de janeiro de 2014 | 15h35

(Atualizada às 17h) GENEBRA - O mediador da ONU Lakhdar Brahimi disse nesta sexta-feira, 24, que as delegações do governo e da oposição síria devem se reunir "na mesma sala" amanhã. "Me reuni separadamente com as delegações da oposição e do governo ontem e hoje (sexta-feira) e acordamos que amanhã nos reuniremos na mesma sala."

Brahimi conversou com jornalistas sobre o andamento das negociações de paz e disse ser improvável que alguma delegação síria abandone a conferência de Genebra 2. "Excluo essa possibilidade. As duas partes se encontrarão e decidiremos sobre a continuação das reuniões de domingo e segunda-feira. Ninguém vai embora no sábado", afirmou.

O mediador da ONU acrescentou que as duas partes concordaram em se reunir com base no comunicado de 2012, que prevê a criação de um governo de transição. "As discussões que tive com as duas partes foram encorajadoras."

A reunião entre as delegações e Brahimi será realizada no prédio da ONU em Genebra às 10h (7h no horário de Brasília), disse Anas al-Abdah, membro da delegação da oposição. "Estamos satisfeitos com a declaração do sr. Brahimi hoje de que o regime tenha aceitado (o comunicado) Genebra 1. E nestas bases, vamos nos encontrar com a delegação de Assad amanhã de manhã. Será uma reunião rápida, em que apenas Brahimi irá falar, seguida por outra reunião, mais longa, à tarde", disse à Reuters.

A oposição síria e o governo do presidente Bashar Assad não se reuniram cara a cara para discutir desde o início do conflito, há quase três anos. A guerra civil síria já matou pelo menos 130 mil pessoas e obrigou cerca de um terço da população de 22 milhões a deixar suas casas./ AP e REUTERS

 
Tudo o que sabemos sobre:
SíriaGenebra 2Lakhdar Brahimi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.