Rodrigo Abd/AP
Rodrigo Abd/AP

Oposição síria pede intervenção militar estrangeira

Rebeldes acusam soldados do governo de chacinarem cerca de 50 civis em Homs

AE, Agência Estado

12 de março de 2012 | 16h06

ISTAMBUL - O Conselho Nacional da Síria (CNS), que reúne vários grupos da oposição ao governo sírio, pediu nesta segunda-feira, 12, uma intervenção militar estrangeira "urgente" após relatos de que foram encontrados na cidade de Homs 47 corpos de mulheres e crianças mortas em um massacre.

 

Veja também:
especialMAPA: 
A revolta que abalou o Oriente Médio
mais imagens OLHAR SOBRE O MUNDO: Imagens da revolução
tabela ESPECIAL: Um ano de Primavera Árabe 

 

A oposição diz que soldados do governo chacinaram os civis, enquanto o governo acusou "grupos terroristas" pela matança. Algumas mulheres foram estupradas antes de serem mortas e várias crianças foram degoladas.

"Nós pedimos uma intervenção militar árabe e internacional urgente" na Síria, disse o líder do CNS, Georges Sabra, em coletiva de imprensa em Istambul nesta segunda-feira, informa a agência France Presse (AFP). Ao ler um texto preparado, ele também pediu a criação de uma zona de exclusão aérea sobre todo o espaço aéreo sírio e "ataques" contra as tropas do governo.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.