Ann Wang/Reuters
Ann Wang/Reuters

Oposição taiwanesa joga vísceras de porco em plena sessão do Parlamento

Ato foi um protesto contra a decisão do governo de flexibilizar as restrições para a importação de carne suína dos Estados Unidos

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de novembro de 2020 | 22h20

TAIPÉ - Intestinos, corações, fígados e outras vísceras de porco voaram nesta sexta-feira, 27, em uma tensa sessão parlamentar em Taiwan, em protesto contra a decisão do governo de flexibilizar as restrições para a importação de carne suína dos Estados Unidos.

Não foi a primeira vez que os parlamentares taiwaneses protagonizaram sessões turbulentas, mas a confusão desta sexta foi bastante curiosa. Legisladores do partido opositor, Kuomintang (KMT), esvaziaram recipientes cheios de vísceras de porco no chão do centro da câmara e depois começaram a atirá-las nos adversários.

Vídeos mostraram legisladores jogando órgãos de porco uns nos outros, enquanto alguns se engalfinhavam em empurrões e golpes mais convencionais. Alguns legisladores vestiram casacos de chuva. Outros brigavam em ternos sujos do que pareciam ser pedaços de gordura de porco. Funcionários parlamentares imploraram em vão por calma. Os assessores do KMT sopraram apitos e buzinas para aumentar a confusão. Um jovem legislador recebeu uma chave de braço.

O governo taiwanês anunciou recentemente que permitirá as importações de porco dos Estados Unidos com ractopamina, medicamento usado para agilizar o crescimento dos animais, a partir de 1º de janeiro. O remédio está proibido na União Europeia e na China.

As autoridades americanas deixaram claro que as restrições às importações de carne suína e bovina são um obstáculo para a assinatura de um acordo comercial entre Taiwan e Estados Unidos.

A presidente taiwanesa, Tsai Ing-wen, e seu Partido Progressista Democrático (DPP), com maioria no Parlamento, esperam que a flexibilização das restrições abra o caminho para o acordo. Mas muitos em Taiwan se opõem às importações de porco americano e o KMT não desperdiçou a oportunidade após uma série de reveses eleitorais.

No último fim de semana, dezenas de milhares de pessoas participaram da feira anual do trabalho, na qual a oposição às importações de porco foi o tema principal. A poderosa indústria suína taiwanesa teme a concorrência dos Estados Unidos.

Quando estava na oposição, o DPP realizou uma dura campanha contra a ractopamina e agora o KMT os acusa de hipocrisia. O partido no governo defende agora que este aditivo não é uma ameaça para a saúde e o acordo incentivará os laços com os EUA, um valioso sócio comercial e um aliado estratégico contra a China.

"Sentimos ter lançado vísceras de porco no Parlamento, mas isto é para destacar o assunto", disse à imprensa o Parlamento opositor Lin Wei-chou. Lin Chu-yin, uma parlamentar do DPP, que publicou fotos do espetáculo em sua conta no Facebook. "O partido da oposição tem o direito a protestar, mas não deveria desperdiçar comida", escreveu.

Taiwan registra um histórico de episódios de caos no Parlamento, à medida que os legisladores procuram demonstrar aos seus constituintes sua "coragem". Em 2004, um legislador do KMT deu uma cabeçada e um soco no estômago de William Lai, o atual vice-presidente. 

Em 2006, a legisladora Wang Shu-hui, do DPP, apanhou um documento escrito que propunha conexões diretas de transporte para a China continental e tentou engoli-lo para que não fosse aprovado; os oponentes do KMT puxaram seu cabelo para forçá-la a cuspi-lo. Em 2017, cadeiras foram jogadas sobre uma proposta de infraestrutura./AFP e W.Post 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.