Oposição toma capital da Costa do Marfim

Em reunião especial, Conselho de Segurança da ONU aprova sanções contra cúpula de regime de facto de Gbagbo

, O Estado de S.Paulo

31 Março 2011 | 00h00

YAMOUSSOUKRO

Forças do grupo reconhecido pela comunidade internacional como legítimo governo da Costa do Marfim tomaram ontem Yamoussoukro, a capital do país do oeste da África, em uma dura derrota do presidente de facto Laurent Gbagbo. Alassane Ouattara - opositor que, segundo a ONU, venceu a eleição de novembro - deu "horas" para Gbagbo abandonar o poder.

No mesmo dia, o Conselho de Segurança da ONU aprovou uma resolução que impõe sanções contra Gbagbo, que incluem congelamento de bens e proibição de viagens, exigindo sua saída imediata do poder.

"O tempo de diálogos e armistícios acabou", decretou o braço direito de Ouattara, Guillaume Soro. Gbagbo encontra-se na cidade de Abidjã, para onde rumam as tropas do líder opositor.

Em meio à escalada no conflito, a ONU impôs uma nova rodada de sanções contra líderes do grupo de Gbagbo. A França disse que militantes ligados ao presidente de facto dispararam contra seu embaixador no país. Cinco meses de tensão deixaram 500 mortos e 1 milhão de refugiados na Costa do Marfim.

Após a queda da capital, forças de Ouattara patrulharam as ruas disparando para o alto, mas foram recebidas com festa pela população. Militares e policiais teriam abandonado a cidade antes da chegada dos rivais. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.