Oposição ucraniana continua nas ruas por reforma eleitoral

Seguidores do líder oposicionista ucraniano Viktor Yushchenko mantêm sob cerco os prédios públicos da capital, Kiev, depois que parlamentares da situação impediram uma reforma da lei eleitoral, proposta para garantir que a nova votação do segundo turno do pleito presidencial seja justa.A parlamentar Yuliya Tymoshenko, firme aliada de Yushchenko, alertou que a oposição não pode pressupor que o novo segundo turno será livre e honesto, mas insistiu que Yushchenko derrotará o primeiro-ministro Viktor Yanukovych, favorito do presidente Leonid Kuchma e do presidente russo Vladimir Putin.Milhares de manifestantes - muitos já sofrendo com as duas semanas passadas em acampamentos pelas ruas - prometem continuar mobilizados até que uma nova legislação eleitoral seja aprovada. Os manifestantes também se inscreveram para atura como fiscais em seções de votação.Em Moscou, capital da Rússia, cerca de 100 pessoas participaram de uma passeata organizada pela União das Forças de Direita para protestar contra as tentativas do governo russo de interferir no processo eleitoral ucraniano. No mesmo local um outro grupo de manifestantes, em número bem semelhante, liderado pelo comunista Viktor Anpilov, marchou contra Yushchenko.A campanha eleitoral ucraniana recomeça oficialmente hoje. Observadores internacionais deverão retornar ao país para acompanhar a nova votação, marcada para 26 de dezembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.