Oposição vence eleições parlamentares na Islândia

A oposição de centro-direita venceu as eleições parlamentares realizadas neste sábado, segundo dados finais divulgados pelo comitê eleitoral. O Partido da Independência ficou com 26,7% dos votos, recebendo assim 19 cadeiras no Parlamento, e seu líder, Bjarni Benediktsson, deve tentar formar um governo com o Partido Progressista, que obteve 24,4% do eleitorado e também conquistou 19 assentos no Legislativo.

ÁLVARO CAMPOS, Agência Estado

28 de abril de 2013 | 08h45

"O Partido da Independência foi chamado ao dever novamente. A situação pede mudanças", comentou Benediktsson, de 43 anos, em um discurso para simpatizantes na madrugada deste domingo. "Nós vamos mudar a Islândia para melhor, muito rapidamente, nos próximos meses e anos", afirmou o líder do Partido Progressista, Sigmundur David Gunnlaugsson.

O atual governo de esquerda, liderado pelo Partido da Aliança, foi rechaçado pelos eleitores em função das duras medidas de austeridade adotadas para reduzir o déficit orçamentário, em meio à crise da dívida soberana que abala a Europa. Enquanto isso, os partidos de direita são contra as negociações para que a Islândia entre na União Europeia (UE) e prometeram uma série de benefícios tributários para os cidadãos.

O Partido da Aliança viu seus assentos no Parlamento caírem de 19 para dez, e sua líder, a primeira-ministra Johanna Sigurdardottir, de 70 anos, anunciou sua aposentadoria antes mesmo das eleições. "A lição a ser aprendida aqui é que, se o objetivo é preservar a qualidade de vida, reduzir o desemprego, então seguir uma política de dura austeridade não é a opção certa", comenta Klobien Stefansson, sociólogo da Universidade da Islândia. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Islândiaeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.