REUTERS/Carlos Garcia Rawlins
REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

Oposição denuncia obstáculos do Poder Eleitoral ao referendo contra Maduro

Conselho Nacional Eleitoral habilitou 300 máquinas de leitura de impressão digital em 128 centro de validação em todo o país, mas representante da oposição havia pedido que número de equipamentos fosse ampliado para 600

O Estado de S. Paulo

20 Junho 2016 | 09h05

CARACAS - A oposição venezuelana denunciou no sábado que o Poder Eleitoral impõe travas para validar as 1,3 milhão de assinaturas admitidas para ativar um referendo revogatório contra o presidente Nicolás Maduro, entre os dias 20 e 24 de julho.

"Solicitamos que duplicassem o número de máquinas e ampliassem esses pontos de validação proporcionalmente àqueles municípios onde existe maior quantidade de signatários (...), Isso foi negado pelo Conselho Nacional Eleitoral (CNE)", declarou o representante da oposição perante o órgão, Vicente Bello, em entrevista coletiva.

O CNE habilitou 300 máquinas de leitura de impressão digital em 128 centros em todo o país para validar as assinaturas, ignorando o pedido da oposição de contar com pelo menos 600 equipamentos para garantir que todas possam ser validadas.

"A dificuldade está em que alguns desses municípios não são exatamente os que têm a maior população de assinaturas autorizadas a validá-las e tampouco são os municípios onde existe a maior concentração da população eleitoral", acrescentou Bello.

O CNE informou à coalizão Mesa da Unidade Democrática (MUD) sobre a distribuição dos centros na madrugada de sexta-feira, informou o deputado Tomás Guanipa.

Após a validação das assinaturas com impressão digital, o CNE terá até 20 dias úteis para revisá-las, ou seja, até 23 de julho.

O secretário executivo da MUD, Jesús Torrealba, denunciou que o Poder Eleitoral "está armando uma emboscada técnica para o povo" e, por isso, pediu aos eleitores que façam a validação "de forma ordenada, contida e pacífica". "Não importa onde vão colocar as máquinas. As pessoas vão validar sua assinatura", destacou Torrealba.

Para revogar o mandato de Maduro, a oposição precisa mais de 7,5 milhões de votos com os quais o presidente foi eleito, em 2013, após a morte de Hugo Chávez. /AFP

Veja abaixo: Oposição venezuelana protesta por revogatório contra Maduro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.