Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Reprodução/atodomomento.com
Reprodução/atodomomento.com

Oposição venezuelana denuncia prisão de prefeito após megamanifestação

Delson Guarate, prefeito do município Mario Briceño Iragorry, no Estado de Aragua, teria sido levado por agentes do Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional (Sebin) sem que sejam conhecidos os motivos

O Estado de S. Paulo

02 de setembro de 2016 | 17h44

CARACAS - A oposição venezuelana denunciou nesta sexta-feira, 2, a prisão de um de seus prefeitos um dia depois da megamanifestação contra o governo de Nicolás Maduro, que deteve, nos últimos dias, vários dirigentes antichavistas, acusando-os de planejar atos violentos.

Delson Guarate, prefeito do município Mario Briceño Iragorry, no Estado de Aragua (centro), foi detido na manhã desta sexta por agentes do Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional (Sebin, polícia política) sem que sejam conhecidos os motivos, denunciou o Partido Vontade Popular.

A oposição venezuelana colocou na quinta-feira um milhão de pessoas nas ruas de Caracas, em um protesto histórico pela realização do referendo revogatório do mandato do presidente Maduro. O dia de protesto foi encerrado com um panelaço em Caracas e outras cidades do país, que incluiu a queima de fogos.

Segundo o instituto Datanálisis, oito em cada dez venezuelanos querem a mudança de governo. Passando para a ofensiva, os chavistas realizaram uma mobilização, também na quinta-feira, que chamaram de "Tomada da Venezuela" para "defender a revolução".

"Hoje derrotamos o golpe de Estado (...), fracassaram mais uma vez, a vitória é nossa", disse Maduro do palanque, afirmando que o protesto opositor não reuniu mais de "25 mil a 30 mil" participantes. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.