Oposicionista critica debate sobre fórmula de voto na Bolívia

O debate sobre a fórmula de voto que já dura três meses na Assembléia Constituinte da Bolívia é uma perda de tempo, disse nesta quarta-feira, 14, Jorge Lazarte, eleito pela União Nacional (UN), de centro.O constituinte denunciou que, após a sessão plenária de terça-feira, continua em vigor o polêmico artigo sobre o sistema de voto aprovado em novembro de 2006 e que não satisfaz nenhuma das bancadas da Assembléia. "Estamos pior que antes, porque estamos perdendo o tempo", disse.Na terça-feira, a Constituinte voltou a fracassar na tentativa de mudar a fórmula de voto para aprovar a futura Constituição boliviana. Para o parlamentar da UN, o artigo da discórdia deve ser substituído porque não tem "viabilidade política nem jurídica". Mas em três meses de debates ainda não se chegou a um consenso.A oposição, liderada pela aliança conservadora Poder Democrático e Social (Podemos), do ex-presidente Jorge Quiroga, insiste que o Movimento ao Socialismo (MAS) do presidente Evo Morales deve cumprir a lei para que o novo texto seja aprovado por dois terços (170 de 255 votos).Segundo Lazarte, a proposta apresentada esta terça-feira pelo MAS "se aproximava" do pedido da oposição, mas não cumpria alguns requisitos legais e, além disso, ignorava alguns direitos das minorias.A presidente da Assembléia, Silvia Lazarte, deu por encerrado o assunto e manteve o sistema de maioria absoluta (128 votos).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.