Opositor critica falta de dados sobre Chávez

Líder disse que os problemas de saúde do presidente não mudaram o cenário político da oposição

, O Estado de S.Paulo

07 de julho de 2011 | 00h00

CARACAS - Um dos principais líderes da oposição venezuelana descartou ontem a possibilidade de adiantamento das eleições primárias para definir o candidato opositor que deve concorrer contra o presidente Hugo Chávez nas eleições do ano que vem.

"As primárias serão em fevereiro", disse Henrique Capriles, governador do Estado de Miranda, centro do país, que lidera, como pré-candidato, as pesquisas de intenção de voto. "No momento, não estamos planejando nenhuma revisão da data."

Em entrevista à imprensa estrangeira, Capriles disse que os problemas de saúde do presidente - que, na semana passada, revelou ter câncer - não mudaram o cenário político da oposição.

Ele ainda assegurou que segue vigente o acordo para eleger um candidato único do bloco opositor. O governador também criticou a maneira com a qual o Executivo lida com as informações da doença de Chávez. "Há uma dúvida na Venezuela. Quem dirá a verdade? Porque parece que algumas pessoas, durante os últimos dias, mentiram", afirmou Capriles.

Em uma conversa informal durante sua passagem por Caracas, na celebração do bicentenário venezuelano, o chanceler Antonio Patriota disse na terça-feira a seu colega venezuelano, Nicolás Maduro, que Chávez seria bem-vindo caso quisesse continuar seu tratamento contra o câncer no Brasil. Caberia à Venezuela pagar os custos do atendimento médico. Maduro agradeceu. Em agosto do ano passado, o presidente paraguaio, Fernando Lugo, fez tratamento contra o câncer em São Paulo. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.