Opositor quer missão para atestar saúde de Chávez

Em meio a crescentes rumores sobre o estado de saúde do presidente venezuelano, Hugo Chávez, o prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, propôs ontem o envio de uma comissão de líderes da oposição a Cuba para obter detalhes sobre o estado de saúde do líder bolivariano. Segundo o prefeito, fariam parte do grupo, além dele, os principais líderes da Mesa de Unidade Democrática (MUD), como o governador de Miranda, Henrique Capriles, e o de Lara, Henry Falcón, além de deputados e médicos.

CARACAS, O Estado de S.Paulo

04 de janeiro de 2013 | 02h01

"Não estou pedindo permissão para ir a Cuba. Creio que temos o direito de ir até lá e ver o que está ocorrendo. Devemos ir e ponto", afirmou o prefeito, segundo o jornal El Universal. "Também temos reivindicado uma maior sinceridade no tratamento do caso. Se trata do chefe de Estado. Por isso, é nosso direito saber qual o seu quadro clínico."

Ledezma ainda pediu que a Constituição seja cumprida, caso Chávez não tenha condições de assumir o quarto mandato. "Todas as soluções estão previstas na Carta Magna. Todos devemos nos submeter à lei", declarou.

O secretário executivo da MUD, Ramón Guillermo Aveledo, voltou a cobrar ontem mais transparência nas informações sobre a saúde de Chávez. "O governo tem nos dado informações genéricas. Há de se respeitar todos os cidadãos da Venezuela", disse Aveledo, segundo o jornal El Nacional.

O oposicionista refutou as críticas de líderes chavistas de que a MUD pretende aproveitar a doença de Chávez para "tomar o poder". "Não pretendemos substituir o presidente, apenas que ele seja substituído temporariamente", acrescentou. "É muito evidente, em razão das declarações do vice-presidente e de outros ministros, que o presidente não está exercendo seu cargo."

Caso Chávez não tenha condições de assumir, a Constituição determina a realização de novas eleições. Derrotado pelo presidente em outubro, Capriles consolidou-se com líder após vender o governo de Miranda, em dezembro. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.