Opositor toma posse como primeiro-ministro no Zimbábue

Posto assumido por Morgan Tsvangirai encerra disputa de poder com o presidente Robert Mugabe

Agências internacionais,

11 de fevereiro de 2009 | 09h01

O líder de oposição zimbabuano Morgan Tsvangirai foi empossado primeiro-ministro em cerimônia realizada nesta quarta-feira, 11, sob um acordo de divisão do poder com o presidente Robert Mugabe em um governo de unidade nacional depois de uma década lutando para tirá-lo do governo   Veja também: Mugabe comemora 85 anos com festa milionária   A posse encerra um período de quase um ano de turbulência iniciado em março de 2008, quando uma onda de violência política varreu o país depois de Tsvangirai ter vencido o primeiro turno de uma eleição presidencial. Os dois concordaram em dividir o poder no ano passado, com o objetivo de encerrar um impasse político, mas a desconfiança mútua e os desentendimentos contínuos despertaram dúvidas sobre quão bem eles podem trabalhar juntos e se conseguirão salvar o país africano, que também passa por uma grande crise econômica e humanitária.   "Eu servirei bem e verdadeiramente ao povo do Zimbábue na posição de primeiro-ministro", declarou Tsvangirai durante cerimônia de juramento presidida por Mugabe no jardim da mansão presidencial em Harare. O ex-presidente sul-africano Thabo Mbeki, que mediou as complicadas negociações de partilha de poder entre Mugabe e Tsvangirai, o presidente de Moçambique, Armando Guebuza, e o rei Mswati III da Suazilândia estavam entre os dignitários presentes   Depois da cerimônia, Tsvangirai pretendia discursar a seus simpatizantes em um estádio na capital zimbabuana não só para comemorar, mas também para renovar a confiança deles. A decisão de Tsvangirai de levar seu Movimento para a Mudança Democrática (MMD) para um governo de unidade nacional foi recebida com desconfiança no exterior, especialmente entre potências ocidentais contrárias a Mugabe, e foi tema de acirrado debate dentro da própria agremiação.   "Os céticos devem entender por que fizemos isso e qual é o melhor plano de ação para lidar com as questões e os desafios da transição neste ambiente político", declarou o ex-líder sindical na véspera da posse. "Nós tomamos essa decisão sem termos sido obrigados. Nós queremos que nossos colegas no país e no exterior vejam essa situação a partir dessa perspectiva. A decisão é nossa. Deixemos que a história nos julgue", prosseguiu.   Mugabe, no poder desde que o país obteve a independência do Reino Unido, em 1980, é um dos líderes políticos mais astutos da África. Tsvangirai é ex-líder sindicalista conhecido pelos discursos inflamados, mas seu talento na liderança ainda não foi testado no governo. Os zimbabuanos esperam que o novo governo traga políticas que reanimem o país, que sofre com a hiperinflação, o desemprego acima de 90%, a falta de comida e uma epidemia de cólera que já matou quase 3.500 pessoas.

Tudo o que sabemos sobre:
Zimbábue

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.