REUTERS/Marco Bello
REUTERS/Marco Bello

Opositor venezuelano diz que governo tentou sequestrar sua irmã

Pelo Twitter, Leopoldo López acusou governo de Nicolás Maduro de tentar sequestrar sua irmã para 'plantar falsas evidências' contra ele

O Estado de S. Paulo

20 Outubro 2015 | 12h28

CARACAS - O líder oposicionista Leopoldo López, que está preso na Venezuela há um ano e oito meses e foi condenado a quase 14 anos de prisão, divulgou na noite de segunda-feira, 19, mensagens em que afirma que funcionários do Estado tentaram sequestrar sua irmã com o objetivo de "plantar falsas evidências".

"Minha irmã Diana foi vítima de uma tentativa de sequestro em que um jovem honesto e trabalhador foi alvo de tortura por 12 horas", diz uma mensagem postada no perfil oficial de López no Twitter.

"Tentaram, através da força, que ele se comprometesse a plantar falsas evidências incriminatórias na casa e no computador da minha irmã", diz outra mensagem. "Estas pessoas não são do crime organizado comum. Agiram com as instruções de funcionários do Estado!", denunciou.

No último sábado, Diana López, irmã do político, denunciou uma "tentativa de sequestro" e descartou que a ação fosse obra de criminosos comuns. "A tentativa de sequestro da qual fui vítima em 15/10 não se tratou do crime organizado comum", escreveu no Twitter.

Nessa postagem, Diana relatou que seu motorista e assistente, Jorge Leones, "conseguiu escapar" um dia depois de ser sequestrado após ser "torturado" durante 12 horas em "um lugar desconhecido" de Caracas, "onde foi agredido de forma selvagem para que revelasse informações" sobre a família López. / EFE

Mais conteúdo sobre:
VenezuelaLeopoldo López

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.