AFP PHOTO / JUAN BARRETO
AFP PHOTO / JUAN BARRETO

Opositor venezuelano volta a cumprir prisão domiciliar após três dias detido

Antonio Ledezma havia sido preso na madrugada de terça-feira, junto ao colega Leopoldo López, acusado de tentar desestabilizar o governo de Nicolás Maduro

O Estado de S.Paulo

04 Agosto 2017 | 08h18

CARACAS - O prefeito de Caracas, o opositor venezuelano Antonio Ledezma, retornou na madrugada desta sexta-feira, 4, para prisão domiciliar após passar três dias preso, informou sua mulher, Mitzy Capriles, no Twitter.

"Informo ao país que há poucos minutos, surpreendentemente, o Sebin (serviço de inteligência venezuelano) trouxe Antonio para a nossa residência", escreveu Mitzy.

Ledezma e seu colega Leopoldo López haviam sido enviados novamente para a prisão na madrugada de terça-feira, acusados de tentar desestabilizar o governo do presidente Nicolás Maduro. O Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) do país alegou na ocasião que os dois planejavam fugir.

Ainda não se sabe se López também voltará a cumprir prisão domiciliar. “Agradecemos ao povo da Venezuela e à comunidade internacional pela preocupação e solidariedade”, disse Mitzy.

Os dois líderes opositores publicaram na semana passada e no fim de semana vídeos em que incentivaram os venezuelanos a não participarem da votação que elegeu os membros da Assembleia Nacional Constituinte no domingo. 

O procedimento convocado por Maduro sob o argumento de pacificar o país é considerado pela oposição uma "fraude", cujo real objetivo seria perpetuar o líder chavista no poder.

Nos vídeos, eles também convocaram o prosseguimento dos protestos que exigem a saída de Maduro. A onda de manifestações no país já deixou mais de 100 mortos. / AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.