Opositores apresentam moção de censura contra Noda

Os principais partidos de oposição do Japão apresentaram uma moção de censura contra o primeiro-ministro do país, Yoshihiko Noda, intensificando um impasse sobre a convocação de eleições gerais e ameaçando a implementação do orçamento nacional. A decisão foi tomada depois de o partido de Noda, o Partido Democrático do Japão (PDJ), ignorar os protestos da oposição e forçar a aprovação de dois projetos de lei sobre financiamento orçamentário e reforma eleitoral pela Câmara Baixa do Parlamento.

AE, Agência Estado

28 de agosto de 2012 | 08h45

O DPJ destacou preocupações com a possibilidade de o governo rapidamente ficar sem caixa caso não seja aprovado o projeto de lei para emissão de bônus, que autoriza o governo a levantar dois quintos do orçamento nacional principal para este ano fiscal - que terminará em março de 2013 - por meio da venda de bônus soberanos. O partido do governo também usou sua maioria na Câmara Baixa do Parlamento para aprovar um projeto que pretende solucionar o relativo poder mantido pelos eleitores rurais no sistema eleitoral japonês.

Mas a aprovação final dos projetos de lei parece cada vez mais improvável em seguida à apresentação da moção de censura da oposição à Câmara Alta do Parlamento, que é controlada pelos partidos oposicionistas e, portanto, deverá ser adotada. Uma vez que isso aconteça, a oposição deverá boicotar praticamente todos os debates parlamentares, efetivamente acabando com as chances de consenso sobre os projetos de lei durante a atual sessão parlamentar, que vai até 8 de setembro.

A oposição quer que Noda dissolva o parlamento para realização de uma eleição geral, dizendo que a emissão de bônus e a reforma eleitoral deveriam ser adotados por um novo governo. Qualquer interrupção nos programas do governo pode ser um duro golpe para a economia já enfraquecida do país, que tem dependido pesadamente dos gastos públicos neste ano para estimular a demanda interna enquanto a crise de dívida europeia prejudica as exportações. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãopolíticaprimeiro-ministro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.