REUTERS/Manaure Quintero
REUTERS/Manaure Quintero

Opositores marcham para pedir entrada de ajuda humanitária na Venezuela

É o terceiro grande ato contra o governo convocado pela oposição nas últimas semanas

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de fevereiro de 2019 | 13h42

CARACAS  - Manifestantes contrários ao presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, se concentram nas principais cidades do país nesta terça-feira, 12, para pedir às Forças Armadas que liberem a entrada de ajuda humanitária no país. É o terceiro grande ato contra o governo convocado pela oposição nas últimas semanas.  

“Voltaremos às ruas para exigir a entrada de ajuda humanitária para salvar a vida de 300 mil pessoas em risco de morte”, disse o líder opositor Juan Guaidó, que deve liderar os atos em Caracas. 

Os protestos também marcam o quinto aniversário dos protestos de 2014, que deixaram 40 mortos e terminaram com a prisão do líder opositor Leopoldo López, padrinho político de Guaidó. 

O governo, como é de praxe, convocou uma manifestação de partidários do chavismo para se contrapor ao ato opositor. 

Carregamentos de medicinas e alimentos enviados pelos Estados Unidos estão em Cúcuta, na Colômbia, para serem distribuídos na Venezuela. A oposição espera pressionar as Forças Armadas, que controlam a fronteira, a permitir a  passagem dos insumos. O chavismo, por sua vez, entregou remédios e alimentos em cidades fronteiriças. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.