Opositores voltam a protestar nas ruas de Teerã

Entoando frases como "morte ao ditador", milhares de manifestantes tomaram ontem as ruas de Teerã para protestar contra o resultado da votação do dia 12, que reelegeu o presidente Mahmoud Ahmadinejad. As forças de segurança usaram porretes e gás lacrimogêneo para controlar a multidão. A polícia também bloqueou as ruas que dão acesso à Universidade de Teerã, destino final dos opositores, partidários do candidato derrotado Mir Hossein Mousavi. Apesar de não se comparar aos protestos que reuniram centenas de milhares de pessoas após a votação, a marcha mostra a determinação dos opositores, mesmo após a violenta repressão do governo, que deixou pelo menos 20 mortos. Logo após o início do protesto de ontem, os celulares pararam de funcionar na capital, uma estratégia que também foi usada pelo governo durante os protestos após a eleição. Os opositores - que vinham organizando a marcha pela internet - escolheram o dia de ontem para protestar porque a data marca os 10 anos do ataque de milícias do governo a um dormitório da universidade, no qual um estudante foi morto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.