Ordem para esvaziar ilha no Japão é suspensa

Um ordem para a retirada da população da ilha de Izu Oshima, ao sul da capital japonesa, Tóquio, foi suspensa neste sábado após um tufão que mais cedo se aproximava do local ser reclassificado como ciclone extratropical, disseram autoridades locais, segundo a agência de notícias japonesa Kyodo.

Agência Estado

26 de outubro de 2013 | 09h56

Depois da passagem do tufão Francisco, o 27º deste ano, o alerta foi cancelado para todos os 8.365 habitantes de Izu Oshima, que fica 120 quilômetros ao sul de Tóquio.

O alerta, o primeiro do tipo em 27 anos, havia sido feito ontem à tarde. Em 1986, residentes foram retirados da ilha devido à erupção do Monte Mihara.

Segundo o Ministério de Terras, Infraestrutura, Transporte e Turismo do Japão, os últimos deslizamentos ocorridos na ilha não causaram danos. Na semana passada, Izu Oshima foi atingida por outro tufão, o Wipha, que deixou 31 mortos e 12 desaparecidos.

Neste domingo, deverão ser retomados na ilha os trabalhos de busca por pessoas ainda desaparecidas. Os esforços haviam sido suspensos ontem para que as autoridades pudessem se concentrar em deslocar a população e se preparar para eventuais novos danos, segundo a Kyodo.

Mais de 1,3 mil habitantes de Izu Oshima passaram a noite de sexta-feira abrigados em escolas e outras instalações à espera da chegada do tufão Francisco, que trouxe fortes chuvas e ventos à ilha na manhã deste sábado. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãotufão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.