Ordem religiosa quer patentear Madre Teresa

A ordem de freiras fundada por Madre Teresa de Calcutá, as Missionárias da Caridade, reivindica os direitos sobre o nome da madre, com o objetivo de impedir a exploração de sua imagem por interesses comerciais. Madre Teresa, que morreu em 1997, será beatificada ainda neste ano. Muitos já a consideravam uma santa em vida. A ordem vem pedindo o registro da patente do nome de Madre Teresa junto às autoridades indianas, tal como o registro do logotipo da ordem missionária. "Durante sua vida, Madre Teresa expressou em várias ocasiões o desejo de que seu nome não fosse usado por nenhuma pessoa ou organização sem a sua permissão e, depois de sua morte, sem a permissão de sua sucessora", disse a irmã Nirmala, atual diretora da ordem das Missionárias da Caridade. Muitas organizações já atenderam ao pedido da ordem para deixar de usar o nome de Madre Teresa de Calcutá. "Nós estamos agradecidas a todas as pessoas que atenderam ao nosso pedido de retirar o nome de Madre Teresa de suas organizações, nomes como Instituto de Management Madre Teresa", explicou irmã Nirmala. Madre Teresa, de origem albanesa, morreu aos 87 anos e ganhou o Prêmio Nobel da Paz. O Vaticano planeja beatificá-la em outubro, como parte do processo de canonização. As informações são do site da BBC em português. Para ler o noticiário da BBC, que é parceira do estadao.com.br, clique aqui.

Agencia Estado,

09 Julho 2003 | 19h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.