Órgão regulador libera criação de novos sufixos para endereços online

Medida representa a maior mudança no sistema de endereços da internet desde adoção do .com, há 26 anos.

BBC Brasil, BBC

20 de junho de 2011 | 08h03

O órgão que regula o sistema de endereços da internet aprovou a criação de novos sufixos de domínios de internet, no que está sendo visto como a maior mudança no mundo online desde que o sistema .com foi adotado, há 26 anos.

A medida praticamente põe fim às restrições que estavam em vigor até hoje, que restringiam os sufixos de domínios aos 22 que existem atualmente, como .com, .edu e .org, e o número de sufixos de países a 250, como .uk(Reino Unido) .de (Alemanha).

A decisão do órgão regulador se deu após seis anos de negociações. A partir de agora, os endereços de internet poderão ter como sufixos praticamente qualquer palavra em qualquer língua.

A organização The Internet Corporation for Assigned Names and Numbers (Icann, na sigla em inglês) tomou a decisão durante uma reunião realizada em Cingapura.

''O Icann abriu o sistema de endereços da internet às possibilidade ilimitadas da imaginação humana. A decisão tomada hoje respeita os direitos de grupos para criar novos domínios em qualquer língua'', afirmou o Icann em um comunicado.

De acordo com Rod Beckstrom, presidente da Icann, ''ninguém pode prever para onde esta decisão histórica irá nos levar''.

O órgão disse que irá aceitar pedidos de registros de domínios com novos sufixos a partir do dia 12 de janeiro do ano que vem.

Especialistas acreditam que empresas e cidades deverão estar entre as primeiras a solicitar pedidos de domínios com novos sufixos, o que permitirá a adoção de domínios como, por exemplo, .google, .BBC, .apple e .toyota.

O registro de cada novo sufixo custará US$ 185 mil (R$ 422 mil) e empresas e órgãos públicos precisarão provar que têm o direito legítimo de utilizar o nome que pretendem comprar.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
tecnologiainternetsufixosdomínio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.