'Orgulho' motivou sapatada em Bush, diz jornalista

O jornalista iraquiano que chamou a atenção do mundo ao atirar seus sapatos no ex-presidente americano George W. Bush durante uma entrevista coletiva no fim do ano passado declarou hoje, na abertura de seu julgamento, que tomou a atitude movido pelo desejo de restaurar o orgulho de seu devastado país. Em sua primeira aparição pública desde sua detenção, logo após o incidente ocorrido em 14 de dezembro último, Muntadhar al-Zeidi disse que não tinha a intenção de machucar Bush nem de causar constrangimento ao primeiro-ministro do Iraque, Nuri al-Maliki. "O que me levou a isso é a humilhação à qual o Iraque vem sendo submetido por causa da ocupação americana e do assassinato de pessoas inocentes", declarou Zeidi. "Eu queria restaurar o orgulho dos iraquianos de alguma forma que não fosse usando uma arma."O jornalista de 30 anos pronunciou-se perante um painel de três juízes depois de ser ovacionado pelas pessoas presentes em um fórum situado na zona oeste de Bagdá. Uma tia deu a ele um lenço no qual estava estampada a bandeira iraquiana. Ele beijou o lenço e o enrolou em torno do pescoço. O presidente do corpo de juízes foi obrigado a ameaçar expulsar o público do recinto caso a ordem não fosse restabelecida. Depois das declarações iniciais do jornalista, a audiência foi adiada para 12 de março.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.