Ortega é reeleito com maioria esmagadora

O ex-guerrilheiro sandinista Daniel Ortega reelegeu-se presidente da Nicarágua com uma maioria esmagadora. Ontem, com 85,8% das urnas apuradas, o líder registrava mais de 62,6% dos votos dos eleitores nicaraguenses, segundo o Conselho Supremo Eleitoral do país.

MANÁGUA, O Estado de S.Paulo

08 de novembro de 2011 | 03h05

A vitória de Ortega é atribuída aos programas sociais financiados pelo governo do venezuelano Hugo Chávez, que entregaram milhares de moradias e animais de criação à população. Milhares de nicaraguenses tomaram ontem as ruas dos bairros mais pobres da capital, Manágua, para comemorar manutenção desses projetos.

As eleições ocorreram em meio a questionamentos sobre a legitimidade da candidatura de Ortega pois, em 2009, uma controvertida decisão da Justiça nicaraguense determinou a inaplicabilidade de uma cláusula constitucional que proíbe a reeleição consecutiva no país.

A oposição denunciou irregularidades e uma suposta fraude. A ONG de observação eleitoral Let's Have Democracy disse ter registrado 600 reclamações de irregularidades, ferimentos durante protestos e 30 prisões no domingo. A Organização dos Estados Americanos (OEA) denunciou que seus observadores tiveram o acesso negado a dez postos de votação, mas o problema foi contornado. Segundo Dante Caputo, chefe da missão da OEA no país, sua equipe não flagrou "irregularidades significativas".

Um incêndio criminoso a um local de votação, a obstrução de eleitores da oposição por parte de funcionários dos postos eleitorais e falta de credenciamentos suficientes para a população votar estão entre as principais reclamações. Observadores da União Europeia afirmaram que divulgarão hoje um relatório sobre a eleição presidencial nicaraguense. / REUTERS e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.