Ortega promete respeito à liberdade de imprensa

O presidente eleito da Nicarágua, Daniel Ortega, prometeu no sábado não repetir os erros do passado e manter respeito incondicional à liberdade de imprensa e à liberdade de expressão, assim que assumir o cargo pela segunda vez. O compromisso foi assumido por Ortega em um encontro com proprietários de meios de comunicação da Nicarágua, realizado na Secretaria-Geral da Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN). "Quero ratificar a decisão que temos, de acordo com a lei e com a Constituição e as normas estabelecidas em nosso país, de manter respeito irrestrito à liberdade de expressão", disse Ortega, que assumirá a Presidência em 10 de janeiro de 2007. O sandinista, que foi chefe de Estado de 1984 a 1990, afirmou que não cometerá os erros de seu primeiro mandato, quando censurou a imprensa. Ortega alegou que os "excessos" foram cometidos em função do conflito bélico que, segundo ele, foi promovido contra seu governo pelos Estados Unidos, que, segundo ele, chegaram a considerar a possibilidade de "bombardear a Nicarágua e aniquilar as autoridades Nicaragüenses". "Agora temos um país livre de conflitos armados e livre de guerras, portanto não há razão alguma para pensar que a liberdade de expressão possa ser afetada", sustentou. O presidente eleito assegurou que seu governo não estabelecerá limites, regulamentos ou sanções contra a imprensa, mas fez um pedido aos proprietários de veículos de comunicação que não divulguem muitas notícias policiais, porque, segundo ele, isso estimula a delinqüência e o crime. O sandinista anunciou também que seu governo manterá a política de comunicação adotada durante a campanha eleitoral. Os empresários de comunicação mostraram preocupação por essa política de comunicação governamental que o sandinista pretende adotar.

Agencia Estado,

26 Novembro 2006 | 05h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.