AP Photo/Alfredo Zuniga
AP Photo/Alfredo Zuniga

Ortega quer lista de quem pediu refúgio na Costa Rica

Segundo presidente, nicaraguenses que não cometeram crimes podem voltar ao país com a garantia de que não serão capturados

O Estado de S.Paulo

30 Agosto 2018 | 14h53

MANÁGUA - O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, disse na quarta-feira, 28, que pedirá ao governo da Costa Rica que entregue os refugiados nicaraguenses que cometeram crimes em meio à crise política do país. Segundo a Costa Rica, tais informações são confidenciais. Ortega disse que pedirá ao governo costa-riquenho uma "lista de pessoas que estão pedindo refúgio para apontar quais delas cometeram delitos durante os protestos que acontecem no país desde abril e, portanto, devem comparecer perante a justiça.

Após as declarações, o ministério das Relações Exteriores da Costa Rica emitiu um comunicado, pelo WhatsApp, dizendo que "não pode dar detalhes sobre as solicitações de asilo ou refúgio", porque são informações regidas pelo princípio da confidencialidade.

Ortega também afirmou que os nicaraguenses que "não tenham causas ou não tenham cometido crimes podem voltar ao país" e poderão se reencontrar com suas famílias. "Os que se sentem livres de pecado podem voltar, com a segurança de que ninguém os impedirá", ressaltou.

O presidente afirmou que, entre abril e junho, cerca de 26 mil nicaraguenses partiram para a Costa Rica "não por serem criminosos", mas para fugir das tensões políticas. Desde o início das manifestações, em 18 de abril, mais de 300 morreram, 2 mil ficaram feridos e há um número indeterminado de presos e desaparecidos. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), o número de pessoas que buscaram refúgio na Costa Rica vindas da Nicarágua é de 23 mil. A população tenta se distanciar da crise política desencadeada pelos protestos que pedem a renúncia de Ortega, no poder há 11 anos. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.